Porquê? Why?

Há histórias que têm que ser contadas.
Há exemplos que têm que ser seguidos.
Há personagens que têm que ser desvendadas.
E nós merecemos um jornalismo diferente que nos mostre que ainda vale a pena.



17/03/09

Não dá para ficar mais tempo calado


«Não se pode resolver (o problema da sida) com a distribuição de preservativos», disse o Papa aos jornalistas a bordo do avião da Alitália que o levará até Yaounde, nos Camarões. Acrescentou que, «pelo contrário, a sua utilização agrava o problema».

DIÁRIO DIGITAL, hoje

O papa Bento XVI, Ratzinger para os mais distraídos, falou pela primeira vez da utilização do preservativo. E isto pouco tempo antes de chegar ao continente mais flagelado pela SIDA.

Com todo o respeito que os católicos me merecem, este senhor é um assassino.

3 comentários:

laura disse...

é bom estares de volta, força

R2D2 disse...

Discordando do que o Papa disse, parece-me, ainda assim, que estás longe de merecer o respeito que dizes ter pelos católicos ao fazeres uma afirmação dessas.

Ricardo Santos disse...

Já tu mereces todo o meu respeito. Tens uma opinião diferente da minha quanto ao senhor Ratzinger, mas não é por isso que vou deixar de te respeitar.
Se puderes, vai ao site da conceituada revista médica Lancet e vê o que a comunidade científica pensa das palavras do líder dos católicos. São 22 milhões de pessoas infectadas com Sida, apenas em África.E qualquer uma delas merece-me mais respeito do que alguém, como o Papa, que poderia com meia dúzia de palavras fazer muita coisa para mudar comportamentos de risco e mentalidades. Mas não, não vale a pena evoluir. É melhor continuar a pensar que o Homem surgiu por milagre e não pela evolução das espécies e que a Terra não é redonda e continua no centro do Universo. Este senhor, com as suas palavras em relação ao preservativo, mata mais do que salva. Logo, para mim, é um assassino.
Um abraço!