Porquê? Why?

Há histórias que têm que ser contadas.
Há exemplos que têm que ser seguidos.
Há personagens que têm que ser desvendadas.
E nós merecemos um jornalismo diferente que nos mostre que ainda vale a pena.



05/01/10

200 mil

Essaouira, Marrocos, Junho de 2008

Onze anos e três meses passam num instante.
Levam mil metros a recordar.

Tirando a família e três amigos, esta é a minha relação mais estável e duradoura de sempre. A explicação é simples: a outra parte não se cansa de mim, não me deixa ficar mal e não espera que eu seja algo que nunca fui. Em contrapartida, eu pouco exijo, não lhe critico os defeitos e não quero que seja algo que nunca foi.

Começámos em Setembro de 1998. Estava calor. Fui apanhado de surpresa pela forma como tudo foi tão rápido. Adaptámo-nos como almas gémeas. Assim é quando a paixão manda mais que o amor. Isto depois passa, lembro-me de ter pensado. Mas não. Não passou. Mesmo onze anos e três meses depois, continuo a gostar de cada marca, de cada momento, de cada recordação. Os momentos maus foram poucos, muito poucos, daqueles que nem chegam para contar.

Fomos a Marrocos sem mapa na mão e sem nunca lá termos ido antes. Percorremos a Europa à descoberta e conhecemos Portugal como ninguém. A areia da praia e a terra do campo serviram-nos para irmos mais longe, para nos conhecermos melhor. Mesmo quando entrámos por caminhos sem saída, soubemos dar a volta por cima. Assim se faz uma relação, não é?

Na noite do Dia de Natal, passei mil metros a recordar o que fizemos e onde fomos, como lá chegámos e o que somos. Fizemos 200 mil quilómetros juntos. Não me deixaste ficar mal. E espero que nunca o tenha feito.

Venham mais 200 mil quilómetros, onze anos e três meses.

8 comentários:

Susana disse...

nice!
mas olha que me lembro de um tempo em que quase o abandonavas por outro...
já tinha saudades tuas aqui.
kiss

Ricardo Santos disse...

De vez em quando, mesmo nas relações mais fortes e indestrutíveis, passam-nos coisas estúpidas pela cabeça.

Susana disse...

Tens toda a razão!
Anyway, gostei das subtilezas do post.
Beijo e não fiques tanto tempo ausente.
S

Soph disse...

Epá!!!
Isto já TAVA cheio DA PÓ!

... mas foi tão boa a sensação de SACUDIR A POEIRA e voltar a LER-TE!

Estou em PELE DE GALINHA!!!!
ARREPIADINHA!

...sim... Extremamente Positivo!

Li o post duas vezes.

Gostei muito.

És TU!

Simplesmente TU.

Ricardo Santos disse...

Vou começar a bloquear os teus comentários, Soph. Tem que ser.

Susana disse...

Bloqueia nada! Era o que mais faltava!

Patrícia disse...

Olá!!
Estava com saudades desse carro, pois também passei nele algumas coisas boas, mas algumas más...

É bom saber que existem coisas que se mantém na mesma...

até à próxima!

Ricardo Santos disse...

Welcome, Patricia.
Só hoje vi o teu comentário, peço desculpa pelo atraso.
O Micra continua bem e recomenda-se. Vai entrar no 13º ano de vida e já completou o equivalente a mais de cinco voltas ao Mundo.

Até já.