Porquê? Why?

Há histórias que têm que ser contadas.
Há exemplos que têm que ser seguidos.
Há personagens que têm que ser desvendadas.
E nós merecemos um jornalismo diferente que nos mostre que ainda vale a pena.



23/10/09

H de Amigo


Olha que dois...


Lisboa, 23 Outubro 2009 – A Comissão Europeia anunciou os vencedores do concurso de jornalismo “Pela Diversidade. Contra a Discriminação.” em cada um dos estados-membros. Em Portugal, a categoria geral foi ganha pela jornalista São José Almeida, com o texto “Homossexuais Perseguidos no Estado Novo”, publicado no jornal “Público”. O vencedor da categoria especial, para os artigos focados na ligação entre pobreza e discriminação, é Ricardo Rodrigues, que publicou o texto “Pobres como nós” na revista “Notícias Magazine”. Em Portugal, foram admitidos a concurso 18 trabalhos, publicados entre 30 de Novembro de 2008 e 31 de Agosto de 2009 na imprensa escrita e em meios de comunicação on-line.

Estou contente.
Conheço o trabalho de São José Almeida e gosto.

Estou eufórico.
Conheço muito bem o trabalho de Ricardo Rodrigues e adoro.

Nunca sei há quanto tempo é que conheço o Ricardo. Poderia apostar em 9 anos, mas é-me indiferente. Podiam ser 20 ou apenas 1. Conheci-o nos Açores, entre um e outro gin tónico no Peter's. Era de noite, não se via o Pico.

Estávamos num grupo grande de profissionais desta área, uns bem mais interessantes do que outros como se veio a provar pela continuidade de algumas amizades desde esse momento. Há coisas que não se explicam e não são amor: é este caso. Depois dessa "odisseia", continuámos a encontrar-nos, em trabalho pelos mais variados poisos. Auschwitz, Los Angeles, Penedono ou Alqueva foram apenas alguns deles.

Ao longo das viagens, criei pelo Ricardo um sentimento crítico de amizade. Acho que criámos os dois. Dizemos sempre o que pensamos, mesmo quando sabemos que o outro não vai gostar. Aconselhamos calma quando é preciso, atiçamos o fogo quando é necessário, damos e levamos raspanetes cada vez que o merecemos. E isso vai acontecendo.

Recebi esta notícia do prémio atribuído ao Ricardo com o orgulho que se sente como se fosse alguém da nossa família de quem gostamos. Sinceramente, recebi a notícia, como se tivesse sido eu a recebê-lo. E ele sabe disso. O Ricardo merece este prémio.

A reportagem de que se fala, "Pobres como nós" é excelente. Para além do brilhante trabalho de campo e passagem para palavras do autor, é também - com igual nível de elogio - um excelente trabalho fotográfico de Pedro Loureiro, na minha opinião, o grande fotojornalista português. O trabalho destes dois senhores é um dos melhores retratos contemporâneos da realidade da pobreza em Portugal. Além de que o título é fantástico, coisa que sempre me agrada.

Além do poder e do dom da escrita, o Ricardo Rodrigues tem o poder de contar histórias com sentimentos ambíguos. Fala de travestis como se escreve sobre o amor. Repete palavras para marcar ritmos de respiração. Faz pontos onde menos se espera para nos fazer pensar.

Este prémio é de todos os jornalistas, de todas as pessoas, que acreditam que a sua hora de fazer alguma coisa está a chegar.

7 comentários:

Susana disse...

Abril de 2001. É apenas uma data. Como bem dizes, é indiferente.
Estou orgulhosa pelo Ric e muito feliz porque estava no Peter's em Abril de 2001. Sou uma pessoa mais rica desde essa altura porque ganhei novos amigos. Foi uma odisseia que valeu a pena! Se clahar não é assim tão indiferente...
Bjs, Su

Ricardo Santos disse...

Estivemos e estamos lá, Su! Beijo

Rok disse...

E eu escolhi bem.

Pq tens a família que te dão e tens a família que tu escolhes.

Irmão de sangue, não podia ser de outra maneira.

Ricardo Santos disse...

Aquela reportagem deveria ser ensinada nas universidades e não os mesmos textos de sempre, bafientas declarações deontológicas de quem já esqueceu o prazer da escrita e da intervenção social.

Soph disse...

"Aquela reportagem..." - que quero ler JÁ!!!!

Ricardo Rodrigues... fantásticas e arrepiantes palavras que o Ricardo te escreveu.

Estou assim... arrepiada!

Acabei agora de partilhar com ele que gosto da forma como falas daquilo que fazes!
Gosto das vibrações dos teus olhos quando explicas as tuas aventuras na escrita e até consigo sentir a adrenalina que te faz vibrar entre as palavras e os pensamentos.

... consequências de quem faz o que gosta e gosta do que faz!

Sente-se.

Ainda não li... Mas o título diz-me muito.

Parabéns!

Parabéns aos dois... Parabéns a TODOS os JORNALISTAS!

... porque gosto de sentir este espírito de CREW que li nestes comentários!!! :)

Brandão disse...

Todos diferentes, todos iguais e só a escrita descrimina, pela positiva. Não estava no Peter's, mas conheci o Pico. Não partilho, porventura, dessa amizade inequívoca de quem escolhe a melhor das famílias: os amigos, mas acompanho, ou vou fazendo por isso, os percursos sem caminho, ou os destinos de muito além. Mas aqui ficam os meus parabéns, a um grupo (Susy, pois que também lá estás) que vai deliciando pela privacidade e pelo público!

Abraços

nat disse...

É tão bom quando vemos um amigo ser reconhecido pelo que faz :)

O orgulho é imenso e, como dizes, é mesmo como se fosse connosco, porque os amigos são assim mesmo... moram dentro de nós :)

E parabéns pelo prémio!