Porquê? Why?

Há histórias que têm que ser contadas.
Há exemplos que têm que ser seguidos.
Há personagens que têm que ser desvendadas.
E nós merecemos um jornalismo diferente que nos mostre que ainda vale a pena.



24/03/08

O sol e a peneira


A final da Taça da Liga em futebol, também conhecida por Carlsberg Cup, foi no sábado à noite. E não é para comentar a grande Vitória que serve este post. Descansem... Já foi tudo mais que visto e dito. É apenas para frisar o estado do nosso jornalismo. Vamos à página 4 de A BOLA, de ontem, domingo, 23 de Março. Numa pequena caixa referente à organização do evento é isto que se pode ler:


"Organização, Condições, Simpatia - Muitos parabéns à Liga.

Terminada a primeira edição da Taça da Liga, os responsáveis pela competição, a Liga de Futebol Profissional, estão de parabéns pela organização da final, desde o encaminhamento e apoio no Estádio do Algarve, à extraordinária recepção aos muitos jornalistas e, acima de tudo, terem um estádio cheio e uma noite de grande festa. (...) Pelo fantástico espectáculo, muitos parabéns!"


Este poderia ser um bom exemplo de jornalismo positivo, elogiar as coisas boas que vão sendo feitas em Portugal, sem ter medo das palavras. Mas não o é. É a visão distorcida de quem se esqueceu de consultar as 30 mil pessoas que encheram o Estádio do Algarve. Eu estive lá. Primeira fila da bancada central onde se encontravam os adeptos do Vitória, levei com o lateral do Sporting Grimi em cima quando uma jogada mais dura o obrigou a correr até à bancada, toquei e beijei a Taça quando os jogadores de Setúbal a vieram entregar aos adeptos. E posso dizer que a organização da final foi uma bela treta. Vamos por pontos:


- Uma hora à chuva para se poder entrar no estádio. Filas enormes que não avançavam de maneira nenhuma. É óbvio que os espectadores devem ser revistados, mas não por dois solitários funcionários numa porta (a número dois, por exemplo) onde estava um par de funcionários a tentar fazer o trabalho.


- Sendo que o Estádio do Algarve fica num descampado sem nada à volta e que as bancas de cerveja apenas comercializavam o produto sem álcool, é o mesmo que dizer que não havia cerveja à venda. Curioso foi o facto de, na Carlsberg Cup, a cerveja sem álcool ser Super Bock...


- Que importância tem a "extraordinária recepção aos muitos jornalistas" para os adeptos? Para quem compra o jornal? Esta coisa de querer ser notícia tem muito que se lhe diga, mas é assim que a coisa funciona. Não duvido que a Liga tenha recebido muito bem os jornalistas que se credenciaram para o evento, com zona VIP, cocktails, aperitivos, meninas vestidas com pouca roupa e cerveja com álcool. E então? Merece este tipo de louvor apenas por isso?


4 comentários:

Cochiuato disse...

Organizações à Portuguesa, boas para os VIP, más para o povão.

Onde é que tá o nosso Vitória?

Ricardo Santos disse...

Ah pois é! Está tudo dito.
O Vitória está aqui. Aqui!

filipe disse...

Apesar de alguma confusão e demora na entrada para o estádio do Algarve,nem o frio nem a chuva...mas mesmo nada conseguiu parar o nosso enorme VITÓRIA que mais uma alegria nos deu. A conquista da TAÇA DA LIGA e o convívio com os meus amigos foi simplesmente MARAVILHOSO depois de uma semana de trabalho muito intensa. Obrigado Vitória! obrigado rick,coelho,jorge e catya,que mesmo congelada numca deixou de sorrir : ) f.

Kate disse...

Filipe, tens toda a razão, tava mesmo congelada!
Mas valeu a pena pela festa e pelo convivio vocês são uma excelente companhia.