Porquê? Why?

Há histórias que têm que ser contadas.
Há exemplos que têm que ser seguidos.
Há personagens que têm que ser desvendadas.
E nós merecemos um jornalismo diferente que nos mostre que ainda vale a pena.



25/03/08

Vamos incomodar o gigante




A actuação, ontem, dos Repórteres Sem Fronteiras (RSF), não pode ficar sem um comentário. Durante a cerimónia em que foi acesa a chama olímpica, em Olímpia, Grécia, três manifestantes da organização protestaram contra a violação dos direitos humanos na China e, consequentemente, no Tibete. O presidente da comissão organizadora das olimpíadas de Pequim, Liu Qi, estava a discursar quando um dos activistas desfraldou uma bandeira negra dos RSF, com algemas em vez dos cinco anéis olímpicos. Na bandeira podia ler-se: “Boicotem o país que espezinha os direitos humanos”.


Robert Ménard, da organização de defesa da liberdade de imprensa, lembrou que “a China é a maior prisão do mundo” e referiu o que se passa no território chinês onde cerca de cem jornalistas, utilizadores de Internet e ciber-dissidentes estão detidos por expressarem as suas opiniões. E os RSF prometem não acabar com os protestos.


O papel do jornalista também é este, não só o de informar. É preciso defender causas, colocar o dedo nas feridas e mostrar que não somos autómatos sem opinião. Imparcialidade sim, mas a defesa dos direitos humanos acima de tudo.


2 comentários:

Isidoro disse...

Grande capa. Irra, até ferve. Que fotão. Fantástico. Uma grande capa para uma grande revista. Grande? A maior? Melhor que a New Yorker, a Time, a Geo e a Família Cristã.
Estou curioso para ler a reportagem.

Ricardo Santos disse...

É com certeza melhor que a Família Cristã...

Obrigado Isidoro.