Porquê? Why?

Há histórias que têm que ser contadas.
Há exemplos que têm que ser seguidos.
Há personagens que têm que ser desvendadas.
E nós merecemos um jornalismo diferente que nos mostre que ainda vale a pena.



04/05/08

Os chicos-espertos



A edição de hoje do JORNAL DE NOTÍCIAS traz mais uma notícia chocante. Não tem nada a ver com atropelamentos em passadeiras, raptos de crianças, ajustes de contas por causa de terras, crimes passionais com ácido à mistura. Mas é igualmente chocante. De acordo com o JN - podem ler aqui - há 6000 gerentes e directores de empresas em Portugal que declararam às Finanças ganhar apenas o salário mínimo. Nestas empresas, nenhum funcionário tinha um ordenado inferior ao do patrão. Mas há mais. Estes dados são referentes ao ano de 2006, quando o salário mínimo era de 385,90 euros. Com o devidos descontos, estes senhores gerentes e directores levavam para casa 343 euros por mês. Fuga ao fisco, falcatrua, mentira, aldrabice, má-fé, chico-espertismo, falta de carácter, aproveitamento, oportunismo. Chamem o que quiserem. E quem paga os seus impostos devidamente, ainda tem que andar a sustentar estes senhores? Este país já tem problemas que cheguem e não precisa de gente assim. Façam o favor de sair, não fazem cá falta.

5 comentários:

HAL_9000 disse...

Não me parece assim tão escandaloso, afinal não sei se sabes, mas os gerentes não têm protecção no desemprego(sim, pq há empresas que vão á falencia) e até há bem pouco tempo não tinham também protecção na doença (direito a adoecer e meter "baixa").

Cochiuato disse...

Coitados dos gerentes.... a ganhar 343€ qualquer dia mudam todos para trolhas, profissão honrosa e com remuneração bem superior.
Espero que tb não tenham segurança social, porque o que eu desconto por mês paga quase um ordenado a esses chulos.
Cumprimentos de quem paga os impostos.

Ricardo Santos disse...

Caro Hal, é claro que há empresas que vão à falência e gente que adoece, sejam eles directores ou meros funcionários. Mas um gerente declarar 343 euros não é assim tão escandaloso? Isso justifica que subverta o sistema do bem comum em benefício próprio? É o acto em si que é vergonhoso, uma falta de respeito para com os outros cidadãos, os cumpridores, como refere o Cochiuato.

Anónimo disse...

Lembro só que em muitas micro-empresas os donos/gerentes/directores por vezes passam 2/3 anos a receber o ordenado mínimo enquanto a empresa não "arranca". Conheço 5 ou 6 casos destes e não é falcatrua...

Ricardo Santos disse...

Claro que isso pode acontecer, mas será nesse "nicho" que se incluem os 6000 que foram trazidos a público? A questão aqui é de princípio. Se 5 ou 6 o fazem porque têm necessidade disso e as suas empresas estão a "arrancar", muito bem. É justíssimo! E os outros, a grande maioria, os que declaram salário mínimo e levam uma vida de salário máximo? Onde está o respeito pelo bem comum? É muito fácil criticar o sistema, mais difícil é tentar melhorá-lo. E estes senhores não o fazem, antes pelo contrário, tentam enganá-lo em proveito próprio. Provavelmente são os mesmos que encerram fábricas atrás de fábricas, abrem falências, declaram insolvências e passeiam-se de Ferrari pelas estradas do Vale do Ave.
Obrigado pela sua opinião, ainda bem que há sempre pelos menos duas visões para cada história.